Educação e tratamento na sexualidade humana

        “A OMS (Organização Mundial de Saúde) tem trabalhado na área da saúde sexual desde pelo menos 1974, quando as deliberações de um comitê de especialistas resultaram na publicação de um relatório técnico intitulado ‘Educação e tratamento na sexualidade humana’ (WHO, 1975).

        Em 2000, a Organização PanAmericana da Saúde (OPAS) e a OMS convocaram várias consultas de especialistas para analisar a terminologia e identificar as opções do programa. No decorrer destas reuniões, foram desenvolvidas as definições de trabalho dos termos-chave utilizados aqui. Em uma reunião subsequente, organizada pela OPAS e pela Associação Mundial de Saúde Sexual (WAS), foram abordadas várias preocupações com a saúde sexual em relação à integridade do corpo, segurança sexual, erotismo, gênero, orientação sexual, apego emocional e reprodução” (WHO, 2010).

Sexo

        “O sexo refere-se às características biológicas que definem os seres humanos como feminino ou masculino. Embora esses conjuntos de características biológicas não sejam mutuamente exclusivos, pois existem indivíduos que possuem ambos, eles tendem a diferenciar humanos como machos e fêmeas” (WHO, 1975). Sendo assim, de acordo com a WHO (World Health Organization), o sexo dos seres humanos é definido por características biológicas. Isso é fundamental para se compreender a sexualidade. As questões de gênero se referem a características construídas culturalmente. O sexo dos seres humanos é construído por características biológicas.

        “Em geral, em muitas línguas, o termo sexo é frequentemente usado para significar ‘atividade sexual’, mas para fins técnicos no contexto de discussões sobre sexualidade e saúde sexual, a definição acima é preferida” (WHO, 1975). Portanto, quando você disser que fez, faz ou fará sexo, considere que isso é impossível. Você não faz sexo. O seu sexo é algo com que você nasce, biologicamente, com ele. O seu sexo é o conjunto das suas características biológicas.

Sexualidade

        A definição de trabalho da sexualidade é: “… um aspecto central de ser humano ao longo da vida engloba sexo, identidades e papéis de gênero, orientação sexual, erotismo, prazer, intimidade e reprodução. A sexualidade é vivida e expressa em pensamentos, fantasias, desejos, crenças, atitudes, valores, comportamentos, práticas, papéis e relacionamentos. Embora a sexualidade possa incluir todas essas dimensões, nem todas elas são sempre experimentadas ou expressadas. A sexualidade é influenciada pela interação de fatores biológicos, psicológicos, sociais, econômicos, políticos, culturais, legais, históricos, religiosos e espirituais” (WHO, 2006a). Se você achava que a sua sexualidade se resumia a apenas sentir ‘tesão’ considere a influência e a interação de todos esses valores.

        A sexualidade humana é um aspecto muito mais complexo do que supunha a sua crença heteronormativa, familiar, capitalista, política ou religiosa. A sexualidade humana, como hoje ‘entendemos?’, começou a ser inventada no século 18. A sua sexualidade é uma construção que você faz durante a sua vida, desde a sua concepção. A sua sexualidade não é algo fixo, ela muda durante a sua vida. A sua sexualidade é construída por você, pela sociedade em que você vive e o momento histórico dessa sociedade.

 

 Saúde sexual

        “A saúde sexual não pode ser definida, entendida ou tornada operacional sem uma ampla consideração da sexualidade, que está subjacente a comportamentos e resultados importantes relacionados à saúde sexual. De acordo com a definição de trabalho atual, a saúde sexual é: ‘… um estado de bem-estar físico, emocional, mental e social em relação à sexualidade; não é apenas a ausência de doença, disfunção ou enfermidade. A saúde sexual requer uma abordagem positiva e respeitosa da sexualidade e das relações sexuais. Bem como a possibilidade de experiências sexuais prazerosas e seguras, sem coerção, discriminação e violência. Para que a saúde sexual seja alcançada e mantida, os direitos sexuais de todas as pessoas devem ser respeitados, protegidos e cumpridos’” (WHO, 2006a).

        O exercício da sua sexualidade de forma saudável deve seguir as normas e as regras de convivência da sociedade na qual você vive. A sua sexualidade, portanto, é normatizada e regulamentada pela ética da sociedade em que você atua. A sua sexualidade deve seguir as orientações aprovadas pela sociedade da qual você faz parte. Você é normatizado e também normatiza a sexualidade dos outros. O exercício de uma sexualidade ‘saudável’ depende de ser aprovado pela sociedade na qual você é indivíduo.

 Direitos sexuais

        Há um crescente consenso de que a saúde sexual não pode ser alcançada e mantida sem respeito e proteção de certos direitos humanos. A definição de trabalho dos direitos sexuais abaixo é uma contribuição para o diálogo contínuo sobre direitos humanos relacionados à saúde sexual.

        “O cumprimento da saúde sexual está vinculado à medida em que os direitos humanos são respeitados, protegidos e cumpridos. Os direitos sexuais abrangem certos direitos humanos que já são reconhecidos nos documentos internacionais e regionais de direitos humanos e outros documentos de consenso e nas leis nacionais.

        O exercício responsável dos direitos humanos exige que todas as pessoas respeitem os direitos dos outros. A aplicação dos direitos humanos existentes à sexualidade e à saúde sexual constituem direitos sexuais. Os direitos sexuais protegem os direitos de todas as pessoas para cumprir e expressar sua sexualidade. E desfrutar da saúde sexual, no respeito pelos direitos de terceiros e no âmbito da proteção contra a discriminação” (OMS, 2006a, atualizado em 2010). Visto desse lugar, a sua sexualidade é um direito. Atentemos para o fato que os direitos humanos são construções sociais, portanto sujeitos aos humores sociais da sua época. O que hoje é um direito, amanhã poderá não sê-lo. Mas o que vem a ser um direito, mesmo?

Psicologia e Psicoterapia

“A alma não se conhece a si mesma, a não ser enquanto percebe as ideias das afecções do corpo” (Benedictus de Espinosa).

        Para a WHO, a saúde sexual é considerada um valor comunitário e não individual. A saúde sexual é um valor coletivo, um bem de todos. Devendo cada um gozá-la individualmente, sem prejuízo de outrem e, solidariamente, com todos. A saúde sexual de cada indivíduo pode assim ser normatizada e regulada pela coletividade. A sexualidade é um direito seu, normatizado e regulado pela sua sociedade.

Referencias

WHO (World Health Organization). Saúde sexual e reprodutiva: Definir a saúde sexual. Publicado em 2006, atualizado em 2010. Acesso em 21 de agosto de 2017. Disponível em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *